Instapoets

Assim como um look, uma frase ou poesia pode ser uma ferramenta para transmitir sentimentos sem verbaliza-los.

E uma nova tendência surgiu no meio literário: os Instapoets.

Instapoets são artistas que utilizam o Instagram como plataforma para envolver os seus leitores juntamente com recursos visuais; mas também focando no mais importante que é a publicação de seus trabalhos para o mundo ver.

Estrelas poetas como Cleo Wade, Yrsa Daley-Ward e Rupi Kaur usam as palavras como ferramentas para a cura. As fortes respostas emocionais que temos à poesia sobre eventos atuais, desigualdade social, identidade, experiências pessoais e muito mais são evocativas do poder dessa arte.

E isso tem funcionado tão bem que os instapoets conquistaram o interesse de grandes marcas como Gucci, Adidas e Teen Vogue que os utilizam como uma voz política, inspirando e engajando seus followers.

Rupi Kaur é uma das principais poetas da cena do Instapoet. A poeta, escritora e ilustradora indiana-canadense é conhecida por seus livros best-sellers do New York Times, Milk & Honey e The Sun and Her Flowers.

A modelo e escritora britânica, Yrsa Daley-Ward, consolou milhares de fãs jovens com sua poesia simplista, honesta e às vezes chocante no Instagram nos últimos cinco anos. Daley-Ward escreveu seu primeiro livro, Bone, enquanto morava na Cidade do Cabo, na África do Sul, e trabalhava como modelo. Ela continua a compartilhar seu trabalho e trechos de sua recente autobiografia “The Terrible” no Instagram.

Poeta, artista e oradora, Cleo Wade combina positividade e feminilidade em seu trabalho. Cleo recentemente colaborou com a Gucci e foi destaque nas listas das 50 Mulheres Mais Influentes da América por Marie Claire, 100 Pessoas Mais Criativas nos Negócios da Fast Company, Woke 100 da Essence e Next Generation of Socially Conscious Women da Vogue.

Diego Parez (que escreve sob o nome Yung Pueblo) é um poeta, meditador e palestrante. Tornou-se conhecido através da mídia social, a inspiração de Yung Pueblo vem de sua prática de meditação Vipassana, dando-lhe uma compreensão mais profunda da libertação em todas as formas, como auto cura, amor-próprio e a beleza de encontrar e trabalhar para conhecer a si mesmo.

 


Criado por auto expressão e com o objetivo de descobrir seus sentimentos em relação à sua depressão, John Carrall experimenta uma forma de ‘apagamento’, onde usa um marcador para cobrir a maior parte do corpo do texto e palavras, expondo uma nova mensagem. Esta forma artística e diferente de poesia que está crescendo rapidamente se popularizando devido ao seu apelo visual.

Autor e poeta, Atticus cria histórias de tirar o fôlego usando apenas algumas linhas e palavras, desejando permanecer anônimo. Ele acredita que mantendo sua identidade em segredo e escondendo-se atrás de uma máscara (como visto em sua foto de perfil) ele está menos inclinado a censurar a si mesmo e a sua escrita.

O estilo confessional de escrever de Trista Mateer é orgânico e fresco para seus seguidores nas mídias sociais. Ela ganhou uma série de prêmios, incluindo o concurso de manuscritos “Where Are You Poet” e o Goodreads Choice Award para poesia, com sua edição auto publicada de “The Dogs I Be Kissed”. Mateer está atualmente trabalhando em combinar seu amor pela arte e poesia em um estilo de contos de contos de fadas.

Nikita Gill, usa sua caneta para falar criativamente sobre ansiedade, solidão e mágoa. Tornando-se uma voz importante para o empoderamento da mulher, Nakita Gill é agora vista como uma grande influenciadora no movimento feminista. Sendo uma voz, ou melhor, a poeta para o empoderamento da mulher, Nakita Gill é agora vista como a maior influenciadora do movimento feminista.

A artista falada, Alison Malee, usa a mídia social para compartilhar sua poesia em um contexto mais curto com um estilo mais artístico, incluindo mídia mista, tipografia e fotografia. Malee foi apresentada ao lado de um punhado de Instapoets para a campanha de anel de noivado “Acredite no Amor” da Tiffany.